Neida Lúcia Moraes

3ª ocupante

Nasceu em Vitória, ES, em 12 de junho de 1929. Desde menina revelou inclinação para as letras, escrevendo histórias infantis e poemas que recitava na escola. Diplomou-se em História pela UFES e tem dedicado os seus estudos a um aprofundamento contínuo dos fatos que marcaram o conjunto da história das civilizações. Sempre se dedicando, principalmente, a uma busca constante, a um melhor e maior aprimoramento da História do Brasil, causas e consequências, interligações com os acontecimentos do seu estado natal, o Espírito Santo, Neida Lúcia Moraes foi professora da UFES e ocupou cargos de destaque na administração pública, como diretora do Departamento de Cultura da Secretaria de Educação, diretora da Biblioteca Pública Estadual, chefe da Divisão de Ciências Humanas e Literatura do Departamento Estadual de Cultura, além de membro do Conselho Estadual de Cultura, membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e da Academia Espírito-santense de Letras. É também sócia da Sociedade Portuguesa de Estudo do Século XVIII e da Academia de Letras de Cascais. Romancista de sucesso, costuma abordar a história como pano de fundo de seu trabalho ficcional. Seus romances atingem edições sucessivas e já são traduzidos em países europeus. Colecionadora de títulos, diplomas, prêmios nacionais e internacionais, é constantemente convidada para ministrar cursos e proferir palestras no exterior. Foi a segunda mulher a ingressar na Academia Espírito‑santense de Letras.  Publicou: Olhos de ver (romance, Rio, Editora Pongetti, 1967), obra premiada pelo Instituto Nacional do Livro; Sete é número ímpar (romance, com prefácio de Austregésilo Athayde, Rio, Artenova, 1971); O Espírito Santo é assim (panorama históri­co, econômico e geográfico do estado, Rio, Artenova, 1971); Espírito Santo, esta é a sua terra no Brasil, obra adotada em toda a rede oficial de ensino do 1º grau, além de artigos e crônicas estampados na imprensa de sua cidade. Publicou mais recentemente os romances: O mofo no pão, 1984, O sentido da distância, 1985 e À sombra do holocausto, 2010, uma reunião dos dois anteriores. Tem 15 livros publicados, além de crônicas e artigos em jornais do estado e Lisboa, Portugal. Colecionadora de títulos, diplomas, prêmios nacionais e internacionais, é constantemente convidada para ministrar cursos e proferir palestras no exterior. Em 1998, seu romance O mofo no pão foi traduzido para o romeno e a autora convidada para o lançamento que aconteceu em Bucareste, numa tarde movimentada e festiva. Selecionada em concurso, teve o último livro À sombra do holocausto traduzido para o inglês e o espanhol. Está sendo vendido em mais de 100 países pelo Itunes e Amazon.

Esta página está em construção, constando dela
apenas o acadêmico atual. Continuamos trabalhando
para que em breve todo o seu conteúdo esteja
disponível. Continue acessando.

Voltar

Índice de patronos e acadêmicos