Oscar Gama

4º ocupante

Oscar de Almeida Gama Filho nasceu em Alegre, em 31 de março de 1958. Publicou: De amor à política, poemas, edição marginal, em conjunto com Miguel Marvilla, em 1979; Congregação do desencontro, poemas, em co-edição do autor com a Fundação Cultural do Espírito santo, em 1980; História do Teatro Capixaba: 395 anos, pela Fundação Cultural do Espírito Santo e pela Fundação Ceciliano Abel de Almeida, em 1981; Estação Treblinka Garden, peça de teatral, na Revista Letra de 1982; Onaniana, poema dramático, na Revista Letra de 1983; A mãe provisória, tragicomédia, nos números de 1984 e de 1985 da Revista Letra; Teatro romântico capixaba, pelo INACEN, MINC, DEC, e CECES, em 1987; O despedaçado ao espelho, poemas, pela Fundação Ceciliano Abel de Almeida, em 1988. Realizou, em 1978, a exposição poético-plástica de arte ambiental “Varais de edifícios”. Participou, como idealizador, da tentativa de criação de uma Editora Cooperativa de Escritores Capixabas, em 1978, durante a qual, em 1978, organizou a primeira oficina literária do Espírito Santo. Dirigiu, em 1978, A mãe provisória e, em 1979, Estação Treblinka Garden. É membro do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo e do Grupo Letra. Atua profissionalmente como psicólogo. Em 2001, publicou O relógio marítimo. A essência da poesia e Os últimos poemas-desesperados de amor. RJ: Imago.

Esta página está em construção, constando dela
apenas o acadêmico atual. Continuamos trabalhando
para que em breve todo o seu conteúdo esteja
disponível. Continue acessando.

Voltar

Índice de patronos e acadêmicos